22/10/2013 - Yoshimi Shintaku será homenageado com o 43º Prêmio Kiyoshi Yamamoto

 

Shintaku será homenageado com prêmio nacional

 

O presidente de honra do Nikkey Clube de Marília, Yoshimi Shintaku, receberá o prêmio KIYOSHI YAMAMOTO 2013 (43ª edição), a mais importante láurea da comunidade Nikkei do país, outorgada pela Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (BUNKYO), sediada em São Paulo. 

 

A entrega será no próximo dia 8 de novembro. O premio “Kiyoshi Yamamoto 2013” é inédito e histórico para Marília e também um grande reconhecimento de todos para a colônia Nikkei.

 

Importância do prêmio - Kiyoshi Yamamoto, formado em agronomia na Universidade de Tokyo (Japão), chegou ao Brasil em 1926 e dedicou uma década na administração da Fazenda Tozan em Campinas e conseguiu implantar o controle biológico da praga “broca-do-cafeeiro” com vespa de Uganda e manteve estreitos relacionamentos técnicos com Instituto Agronômico e Escola de Agronomia de Piracicaba.

 

Em 1952, no quarto centenário de São Paulo foi decisiva sua liderança para consolidar a presença da colônia nas festividades e construção do Pavilhão Japonês no Parque do Ibirapuera. Em 1955 fez criar a Sociedade Paulista da Colônia Japonesa (atual Bunkyo) e em 1958 foi responsável da vinda do Principe Mikasa na comemoração do cinquentenário da imigração. Faleceu em 1963  e posteriormente a ABETA instituiu o Premio “Kiyoshi Yamamoto” e ele é atualmente outorgado pela Bunkyo. 

 

Desde 1965, o prêmio é destinado aos agricultores “nikkeis” que se destacaram em suas atividades produtivas. A escolha é feita baseada nos seguintes critérios: a) sua contribuição a agricultura brasileira pela inovação tecnológica, originalidade e pioneirismo, capacidade multiplicadora dos resultados e sucesso econômico financeiro; b) atuação e contribuição à comunidade local e regional; c) méritos e homenagens recebidos.

 

História do homenageado – Mariliense e hoje com 76 anos, Yoshimi Shintaku aos 14 anos assumiu o controle geral da família por ser único filho na irmandade de seis irmãos.

 

Como chefe de família foi lutador e abraçou com serenidade, introduzindo a cultura de batata; depois melancia durante 15 anos, seguiu-se a cultura de citros “ponkan” sempre com elevada produtividade. Em 1964 viu um pequeno plantel de aves poedeiras que seus pais tinham como atividade promissora. Assim, partiu para ter uma avicultura moderna e rentável. Shintaku afirma que o sucesso da granja se deveu a experiência associada à tecnologia.

 

Um produtor pioneiro e apaixonado, inovador e de referência - Em 1951, liderou e lutou pela implantação da eletrificação rural no bairro onde mora e iniciar a avicultura e sempre preocupou-se em buscar o uso da tecnologia disponível na obtenção de melhores resultados econômicos através da produtividade e redução de custos.

 

Conseguiu reunir um grupo de 24 avicultores de várias regiões (SP, MG, GO e DF) e fundou união dos criadores, promovendo encontros, visitas às granjas, palestras de técnicos renomados e intercambio com entidades do Japão e implantou várias técnicas: a) Uso racional  d’água para melhorar o metabolismo das aves; b) Iluminação artificial do aviário para melhorar a produtividade do plantel; c) Racionalização no fornecimento da ração, evitando obesidade e prolongando a vida útil das aves; d) Promoveu melhoramento genético e e) Desde 1997 produz ovos enriquecidos com Omega 3 e Vitamina E.

 

Yoshimi Shintaku continua, diuturnamente, pesquisando na busca de novas tecnologias. E ele conta com ajuda dos três filhos e 130 colaboradores (50% residem na propriedade) para administrar um plantel de 500 mil aves e uma produção média diária de 30 mil dúzias de ovos.

 

Todas as técnicas e métodos incorporados no inicio da década de 60, hoje são rotineiras, mas na época revolucionou a avicultura, reduzindo custos, melhorando a produtividade e saúde das aves e beneficiou o grupo e demais criadores. E por isso continua na avicultura até hoje quando totalidade dos pioneiros abandonaram.

 

 

Liderança junto a comunidade regional - Quando jovem liderou e promoveu encontros de jovens rurais na formação de futuros agricultores, trazendo técnicos com palestras sobre técnicas agrícolas e economia domestica.

 

Presidiu o Sindicato Rural de Marilia, batalhando e defendendo as causas da classe na busca de melhores soluções políticas para agropecuária durante 20 anos. Na comunidade nipo-brasileira foi em 1991, um dos batalhadores na unificação de três entidades existentes e se tornou primeiro presidente do Nikkey Clube de Marilia e com seus maquinários conseguiu concretizar o “Complexo Esportivo Nikkey Clube”, com uma área de 12 alqueires, criando 18 departamentos e onde permaneceu por oito anos. E por tudo isso, é considerado um dos MAIORES BENFEITORES da comunidade nipo-brasileira de Marília e região.

 

Méritos e Homenagens - Por seu incansável trabalho junto a comunidade recebeu muitas homenagens nos seus 76 anos de vida, 60 na agricultura moderna e quase 50 na avicultura que é referência aos demais. E entre elas de CIDADÄO BENEMERITO DE MARILIA (1995) e de JULIO MESQUITA (1997).



 

Nikkey Clube de Marília - Assessoria de Imprensa

Jornalista responsável: Klaus A. Bernardino (MTb 33.656)

Contatos: 9700-2463 ou 3306-6391

 

22/10/2013
[Verso para impresso]
  BY COMBR