Jornal da Manhã - Com contrato de 4 anos, marilienses do softbol vão defender universidade nos EUA

 

Com contrato de 4 anos, marilienses do softbol vão defender universidade nos EUA

Beatriz Narazaki e Chryssia Tainá jogam no Nikkey Clube há mais de 10 anos e viajam para Miami neste sábado (dia 14)

Por Jorge Luiz

10/08/2021 - 16:26

 

Fotos: Divulgação

 

 

Duas jogadoras do Nikkey Clube de Marília foram contratadas pela Universidade de Miami (Miami Dade College), nos Estados Unidos, para disputar as competições universitárias de softbol (beisebol feminino). Chryssia Tainá Catalan, de 18 anos e Beatriz Narazaki, de 17, viajam neste sábado (dia 14) para o País, onde ficarão pelo menos quatro anos. O contrato é garantido até o final do curso superior.

Chryssia fará o curso de administração e revelou que sua ida para os Estados Unidos já estava definida desde o começo deste ano. “A gente só não sabia ainda qual o dia exato da viagem, mas tínhamos conhecimento da data que teríamos que nos apresentar. A confirmação veio no começo deste mês. Estou muito feliz. Quando comecei a praticar o softbol, não sabia que havia essa oportunidade de estudos fora do Brasil”, explicou.

 

Já Beatriz vai cursar ciências da computação e está ansiosa para a viagem. “Será uma experiência bem diferente, principalmente por ficar tanto tempo longe da família. Já fiz intercâmbio para os Estados Unidos duas vezes (2018 e 2019), mas foram de apenas 30 dias cada, agora é outra história. São no mínimo quatro anos”, frisou.

 

Somente quatro atletas foram selecionadas pela Universidade de Miami, sendo as duas marilienses, uma menina do clube Atibaia e uma do Nikkei Curitiba-PR. As escolhas ocorrem pelo desempenho nas seleções brasileiras de base. A arremessadora e defensora Chryssia e receptora e defensora externa Beatriz, jogaram nas equipes nacionais do sub-15 ao sub-18 e atuam pelo Nikkey Clube desde 2009.

 

Ao lado de Fernanda Higawa, Beatriz e Chryssia defenderam as seleções brasileiras de base

 

Sonho de seguir carreira no esporte

 

Mesmo com a grande oportunidade de uma formação universitária no exterior, as duas meninas querem seguir carreira no esporte. “É muito difícil, principalmente pelo fato das atletas dos Estados Unidos já iniciarem no esporte com essa boa estrutura, mas acho que temos condições de aprimorar mais nossas técnicas e chegarmos ao mesmo nível”, revelou Chryssia Tainá. “Os times universitários são muito fortes. Tive a experiência de jogar lá em dois intercâmbios e já sei o que esperar e a metodologia de trabalho. O fato de nós duas irmos juntas vai ajudar bastante na adaptação, pois praticamos o softbol desde pequenas”, ressaltou Beatriz Narazaki.

 

O projeto de beisebol e softbol do Nikkey Clube de Marília é gratuito e tem parceria com a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Juventude (SELJ). A iniciativa tem o apoio de: Marilan, Dori, Sasazaki, Femsa/Coca Cola, Supermercado Kawakami, Carino, Marcon, Bradesco, Colégio Cristo Rei, Unimed e Secretaria Estadual de Esportes. “O sofbol mudou a minha vida e da minha família. Desde pequena meus pais sempre me apoiaram nesse esporte, que me fez melhorar muito como pessoa”, destacou Chryssia Tainá.

Fonte: Jornal da Manh
10/8/2021
[Verso para impresso]
  BY COMBR